Polêmica sobre os pastores João Campos e Daniel Messac.

Respondendo a polêmica dos dois pastores João Campos e Daniel Messac, porque muitos tem perguntado sobre o vídeo que está no youtube.
E do processo contra o pastor Daniel Batista que informou no seu blog sobre a frequência deles na loja Maçõnica G.O.G .

Eu penso que alguns pastores não devem se ofender quando são identificados publicamente que são de fato maçons ou que frequentam as lojas, porque a negação e  sentimento de ofensa, é dar confirmação de que estão fazendo algo errado e associado ao mal como os próprios evangélicos pensam.



Entendemos o ponto de vista do irmão e pastor, quanto ao processo que foi movido contra sua pessoa, e de certa forma como foi algo que se tornou público ele tem o direito de expôr sua opnião no seu blog como pastor já que não concorda que os  pastores citados façam parte da maçonaria.
Este outro vídeo que tem uma crítica contra pastores maçons explica um pouco deste protesto feito por evangélicos.

Veja um exemplo destes argumentos:



Só que chega um momento que também fica difícil esconder que faz parte da maçonaria e é neste momento que alguns pastores precisam se posicionar.

2 comentários:

  1. Não é questão de pastor ter que se posicionar ou não sobre a maçonaria.
    A questão está é na dificuldade de mostrar para os evangélicos que não há satanismo na ordem. As pessoas criaram mitos que o maçom sobe em um bode, toma transfusão de sangue de bode, chicoteia imagem de Jesus Cristo e outras lendas mais de dar pena.
    Sou evangélico e sou Maçom, e não vejo problema nenhum em conciliar o trabalho na loja maçônica com a minha fé em Jesus na igreja.

    ResponderExcluir
  2. Ser "politico" é muito mais "pecaminoso" do que ser MAçom.

    ResponderExcluir